Dona Uda – Conheça a história da manezinha da ilha que conquistou o Brasil

Maria da Costa Lourdes Gonzaga foi professora por 30 anos ou três gerações de alunos no Mont Serrat, comunidade do Maciço da Cruz, na região central de Florianópolis.

 

Diz brincando que tem sorte de ainda não ter aparecido nenhum bisneto de aluno seu, senão se sentiria muito velha. Segundo suas contas, deve ter dado aulas para mais de 15 mil crianças.

 

Dona Uda, como ficou conhecida, também batalhou por água encanada, esgoto, asfalto e ônibus para a favela onde vive até hoje.




Nas horas vagas, alfabetizou adultos. Ajudou a construir a escola de samba Copa Lord, uma das mais tradicionais da cidade, ao lado de seu marido, Armandinho, que foi presidente por 18 anos.

 

Quando ele morreu, em 1984, a comunidade pediu que ela assumisse a função, na qual ficou por dois anos. Até hoje, nenhuma outra mulher foi presidente de uma escola de samba no município.

 

Aos 78 anos, dona Uda ainda não parou. Coordena o grupo de mulheres negras Antonieta de Barros, é madrinha da melhor idade, responsável pelas 43 baianas da Copa Lord. Também batiza, dá a catequese e casa os fiéis da igrejinha de Mont Serrat.




E trabalha para ver nascer a primeira universidade no morro. Ela e o padre Vilson Groh participam de audiências públicas e reuniões privadas com representantes do governo para viabilizar esse projeto.

 

Matéria originalmente escrita em: www.noticias.uol.com.br